quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Cone lipoaspirante.

Voltar a andar na linha nunca é algo que acontece sem deixar certas sequelas. São as tremedeiras de fome, a irritação repentina, a vontade de esmurrar o resto das coisas, a vontade de comer todas as coisas, esmurradas ou não e, o pior de todos, os sonhos estranhos. Essa noite sonhei que emagreci. Parece fantástico né? Pegada conto de fadas. Mas permita que me explique melhor.

Lá estava eu andando por uma espécie de bosque só que sem animais perigosos nem insetos. Ou pelo menos eles não estavam à vista, mas isso não vem ao caso. Retomando, estava andando e, sim, comendo um sorvete de casquinha. Ah, eu poderia passar um bom tempo descrevendo todos os sabores e sensações que sentia ao me deliciar com meu cone gelado e saboroso, porém, isso não será saudável pra mim dada a temperatura ambiente nesse sol do meio dia. Enfim, o caso era que, a cada lambida que eu dava no sorvete, emagrecia. Basicamente, a definição de mundo perfeito. Natureza vegetal para observar, doces para comer e barriga sendo eliminada automaticamente. Incrível.

E assim foi. Continuei passeando pela selva, lambendo e murchando, lambendo e murchando, lambendo e murchando... Só que a coisa meio que fugiu do controle. Não que não estivesse usando roupas, mas em um dado momento, percebi que estava emagrecendo demais e tive a certeza de que minhas costelas já estavam à mostra. A pele apertava meus ossos causando uma baita dor. Pasmem, mas eu queria parar de emagrecer! Já não tinha mais um pingo de gordura mas não conseguia parar de comer aquele sorvete lipoaspirante. Então, ele chegou ao fim. Engoli a última mordida, a ponta da casquinha e... ´´!!PUF!!``! Virei do avesso. Cena medonha, não recomendo a imagem mental para ninguém. Acordei com calor e com fome e fui me contentar, não sem tristeza, com meu escasso café da manhã.

Nenhum comentário:

Postar um comentário