sábado, 11 de dezembro de 2010

Mas o que fazer com o natal?

Estava, mais uma vez, pensando nas festas de final de ano. Talvez seja essa a hora de admitir que estou com medo. Mais que isso, um pavor gigantesco de ter alguns dias praticamente incontroláveis para a dieta. Minha mente é frequentemente povoada por panetones, perús recheados, tenders com todos os seus cravinhos, castanhas assadas e várias outras perdições natalinas. E minha reação é sempre a mesma. Fujo do problema. Sim, sempre tento pensar em outra coisa. No começo, essa outra coisa era comida que eu podia comer, como salsão ou rabanete, mas, com o tempo, percebi que isso só atrapalhava. Então passei a apenas ignorar o problema com pensamentos de qualquer outra natureza, desde trabalho até programas de televisão, passando por temas como contas à pagar, juros à pagar e faturas de cartão à pagar. Essas últimas são infalíveis e trazem um alívio. Mas, um tempo depois, os flashes da ceia voltam e o medo do inevitável torna a atacar.

Agora há pouco, isso aconteceu de novo. Tentei fugir pensando em outras coisas. Pensei até em minha tia avó Meire e seu cheiro característico, mas não funcionou. Os pensamentos natalinos vieram para ficar. Mas, uma luz apareceu em meio minha reflexão sobre as gostosuras de final de ano. Cheguei a uma conclusão, mais ou menos assim: e daí? E daí que vou sair da dieta? É só um dia. Não é possível que apenas um dia faça tanta diferença assim num projeto de dois meses e meio. Um dia em dez semanas, 24 horas em setenta dias, em 100.800 minutos. Ou seja, estou me inclinando cada vez mais a quebrar a dieta entre o dia 24 e 25. Sabe, me dar um presente de natal.

Porém, isso tem um problema. Pra quebrar a dieta, tenho que estar de dieta.

Em vista disso, meu plano inicial é manter a dieta totalmente impecável do dia 20 ao dia 24. São menos de cinco dias. Quatro e meio. Daí, eu me dou de presente, o direito de quebrar a dieta por 24 horas, tempo suficiente para englobar a ceia do dia 24 e o almoço do dia 25. E o melhor disso, é que, se tudo correr bem nos cinco dias anteriores, vou poder aproveitar o natal sem peso na consciência. É como se fosse uma dieta dentro da dieta para poder quebrar a dieta! Plano infalível!

Me animei. Gostei da ideia. Inclusive, pergunto ao pessoal que entra aqui. Porque não nos damos um presente coletivo? Um natal sem peso na consciência!! Vi vários blogs que lançam desafios. To pensando em lançar um, pra que todo mundo puxe as rédeas um pouquinho antes do natal e possa aproveitar a festa como uma boa festa deve ser: farta e inesquecível. O que que vocês acham da ideia? Alguém se anima?

7 comentários:

  1. Acho que a melhor maneira de passar a semana das festas é comer um pedaço pequeno de panettone por dia, um pedaço pequeno de outras coisas que a gente gosta, aumentar o tempo da atividade física, assim nada de culpa!

    ResponderExcluir
  2. adorei seu blog amiga..estou te seguindo..passa la no meu e ve o antes e depois da plastica..bjs

    ResponderExcluir
  3. Olá, Baxie!
    Relaxe e aproveite sua ceia de Natal! Quando entramos num rítmo de alimentação, mesmo que tenhamos a frente inúmeras possibilidades, aprendemos a fazer escolhas e moderar. Então faça sua escolha e coma sem culpa! Não tem graça alguma desfrutar das delícias que os privilegiados tem na ceia, e depois ficar se culpando, não acha?!
    Beijocas!

    ResponderExcluir
  4. Conversando com o pessoal na reunião do Vigilantes, o que a orientadora sugeriu foi escolher os alimentos que mais gostar (dois ou três) ao invés de provar um pouquinho de tudo, o que pode acabar virando uma bomba calórica. O que eu tenho pensado sobre isso é que natal tem todo ano e estar magra é melhor do que o gosto do panetone. Tem me ajudado...rs :-P

    ResponderExcluir
  5. Ontem uma amiga estava com os mesmos questionamentos que os seus. Aí a outra respondeu:

    _ Amiga não é o que você come entre o Natal e o Ano Novo que te engorda, mas sim o que você come entre o Ano Novo e o Natal... Aproveite a ceia com a família. Seja feliz!

    Adorei, adotei.

    ResponderExcluir
  6. Eu também apoio. Só não sei se é bom isso de diminuir ainda mais o que você come.

    E tem outra coisa. Durante a dieta, com porções pequenas, o estômago se acostuma e na farra você acaba comendo um pouco menos do que comeria "na sua vida normal"

    Então, vai fundo!

    ResponderExcluir
  7. Ihhh tô fora desse desafio, simplesmente pq não vou sair da dieta no Natal. Eu quase não gosto de comida natalina, rs.
    Ótimo fds!
    Bjs

    ResponderExcluir