domingo, 14 de novembro de 2010

E a porca torceu o rabo.

Dios mio! O almoço de hoje foi quase uma tragédia. Fui almoçar na casa dos meus pais e, inacreditavelmente, depois de sei lá quantos (muitos) anos, bem agora, minha querida mamãe aprendeu a fazer torresmo. Assim que cheguei, vi meu pai com um sorriso muito grande, muito, muito maior do que o normal e mesmo que goste de acreditar que ele fique feliz em me ver, sabia que não podia ser apenas isso. Antes que eu conseguisse sentar no sofá, já tinha descoberto o motivo de tanta felicidade.

´´ Você não vai acreditar, sua mãe acabou de aprender como fazer torresmo``. Pra falar a verdade, não acreditei mesmo. Quais eram as chances? Ta certo que a mesa na casa dos meus pais sempre foi farta e gordurosa, muito provavelmente um dos motivos para essa dieta que faço agora, mas nunca imaginei tamanha perdição para um regime iniciante como o meu. Não queria falar que estava de dieta, porque isso sempre implica um monte de perguntas desagradáveis sobre todo o resto da minha vida, mas não queria nem olhar para os pedaços de banha de porco fritas, salgadas, crocantes e... bem, e deliciosas. Infelizmente, não teve como. Alguns instantes mais tarde a mesa de centro estava habitada por uma bela cumbuca, uma camada tripla de papel toalha, transparente em alguns pontos e vários torresmos. E o pior é que ela tinha acertado mesmo. Estavam uma beleza, cor uniforme e com a parte de cima pururucada. Tive um treco. Achei que iria avançar e detonar a cumbuca inteira. As palmas de minhas mãos ficaram encharcadas enquanto dialogava com minha consciência, como que se pedisse permissão para avançar.

Não tinha muito como escapar. Tive que comer um, se não mamãe teria um troço. Escolhi um pequeno e, fazendo força pra não pensar nas conseqüências, coloquei na boca e comecei a mastigar. Delicioso. Senti que ia perder o auto-controle a qualquer instante. Coisa boa dalí não sairia. Precisava de uma providência, rápido! Todas as idéias de desculpas que tive eram ruins iguais, então resolvi ir com o bom e velho estou mal do estômago quando me questionaram porque não estava devorando a cumbuca. Deu certo. Quer dizer, mais ou menos. Minha mãe ficou preocupada com minha situação, principalmente porque o resto do almoço era apimentado (um chilli que parecia muito bom) e descongelou uma sopinha leve pra mim. Horrível, gosto de produto de limpeza morno. E, conhecendo meus pais como conheço, devia estar cheia de manteiga.

6 comentários:

  1. as tentações estão em todo o lado... temos que conseguir superar esses desafios, mas nem sempre é fácil... e muitas vezes não resistimos mesmo e comemos tudo o que é bom, e só depois nos lembramos que não devíamos... enfim é uma luta diária...
    desta vez conseguiste superar o desafio, muito bem, uma batalha ganha...

    ResponderExcluir
  2. Eheheh... Ele há dias que é mesmo difícil fazer RA:)
    Parabéns pela resistência....

    ResponderExcluir
  3. Tudo está na nossa cabeça! nosso corpo não pode nos dominar... afinal quem comanda tudo é o cérebro... vamos firme menina!!! Firme! Emagrecer, só não consegue quem desiste!
    Beijo e boa semana!

    ResponderExcluir
  4. Compreende-se então a razão do peso. Mas é possivel comer gostoso e menos gorduroso, prossiga. Só não vale deixar de sentir o prazer de comer.

    ResponderExcluir
  5. Oi,
    Bom dia!
    Passei para desejar uma ótima semana light... Força e disciplina!!!
    Beijo no Coração

    ResponderExcluir
  6. Um dia, nao sao dias e tambem merecemos alguns miminhos ;)

    ResponderExcluir